Cama compartilhada: conheça o método que faz mães e bebês dormirem melhor

Você já ouviu falar na cama compartilhada entre mães e bebês?

Quer saber mais sobre esse esse método que promete um sono melhor para os bebês e mais descanso para as mamães?

O conceito de cama compartilhada, que virou moda nos últimos tempos, não parte de uma ideia nova. Desde a época das cavernas, nossa espécie sobreviveu dormindo em bandos, com os mais fortes protegendo os mais frágeis. 

Somente nos últimos 150 anos é que os bebês passaram a dormir separados dos adultos, em quartos próprios para eles. Ao passo que evoluímos como sociedade, mas não mudamos o nosso instinto. 

O bebê, assim que nasce, não se importa muito com o fato de termos preparado ou não aquele quartinho lindo, todo decorado. 

Certamente o importante para ele é o abrigo que encontra no colo da mãe. Ali, naquele quentinho, está o seu porto seguro, com o cheirinho e a voz que ele já conhece desde a barriga. O instinto do bebê diz que é nesse colinho que ele vai encontrar comida, calor, afeto e proteção. Assim, por se sentir seguro, lá é o melhor lugar do mundo para ele relaxar e dormir. 

Baseado nisso surge a ideia da cama compartilhada, uma forma de dormir que estimula essa proximidade entre mãe e filho.

O corpo a corpo durante a noite fará o bebê dormir melhor e, consequentemente, essa mãe também conseguirá descansar. A privação de sono está entre as maiores dificuldades das mães nos primeiros meses do bebê. 

O desgaste da mãe ter que se levantar e ir até o quarto ao lado para as infinitas mamadas noturnas, praticamente desaparece, pois o bebê já está ali, do seu ladinho. Fica mais fácil ouvir e atender as necessidades do filho.

Parece interessante, não é? Antes de mais nada, vamos entender melhor este método?

Cama compartilhada ajuda mães e bebês a dormirem melhor

Como funciona

Cama compartilhada é quando mãe e bebê compartilham a cama na hora de dormir. O médico americano James McKenna, diretor do Mother-Baby Sleep Laboratory, da Universidade Católica de Notre Dame (EUA) é um dos principais defensores da cama compartilhada. Para ele, mais do que trazer conforto e descanso para os pais, a prática promove, principalmente, a construção de um adulto mais seguro e positivo.

As principais vantagens do método são:

  • o contato mais próximo com a mãe melhora a estabilidade respiratória, oxigenação e termoregulação do bebê
  • promove despertares da mãe sincronizados com os do bebê
  • aumento da duração da amamentação e da produção de leite
  • facilita o descanso das mães que amamentam
  • favorece os vínculos de apego
  • favorece a formação no bebê de padrões de sono semelhantes aos dos adultos 

Associada até uns anos atrás com o risco de morte súbita, a cama compartilhada conta hoje com inúmeros estudos que não apenas estão desfazendo essa tese, como também comprovando a segurança da prática. 

A própria Academia Americana  de Pediatria (AAP) divulgou recentemente as suas recomendações sobre como reduzir a Síndrome da Morte Súbita Infantil, recomendando que os bebês durmam no mesmo quarto que os pais durante o primeiro ano de vida.

Cama compartilhada ajuda mães e bebês a dormirem melhor

Como fazer cama compartilhada de forma segura

Achou interessante e quer experimentar os benefícios da cama compartilhada? Calma. Antes de sair colocando em prática é preciso observar uma série de cuidados para que seja feita de forma segura:

  • a cama deve ser plana, firme e lisa, com lençóis que permaneçam bem ajustados. Não tente fazer cama compartilhada no sofá ou em cama muito macia e com cobertores pesados.
  • o ideal é que a cama seja colada à parede e o bebê durma entre a mãe e a parede. Importante se certificar que não existe espaço entre o colchão e a parede, onde o bebê poderia ficar preso.
  • apenas a mãe deve fazer cama compartilhada. O pai, irmãos, avós, babás ou qualquer outra pessoa não possuem a mesma consciência instintiva da mãe, de saber onde o bebê está.
  • nunca deixe o bebê sozinho em uma cama de adulto.
  • não use joias e se o cabelo for grande, prenda-o.
  • não use roupas com fitas ou cordões compridos.

Também é preciso levar em consideração que há casos onde a cama compartilhada é desaconselhada, pois pode envolver riscos. Listamos abaixo alguns deles:

  • jamais faça cama compartilhada se os pais tiverem consumido bebida alcoólica ou drogas.
  • também deve ser evitado se os pais fumam e se estão com obesidade ou sobrepeso.

E, principalmente, converse antes com o seu pediatra para avaliar os prós e contras no seu caso específico, ok?

Fontes: Programa de Saúde Infantil, Conselhos preventivos sobre o sono, Associação Espanhola de Pediatria de Atenção Primária, 2009 e Dra. Vanessa Manfrim

Gostou de artigo, visite nosso blog e veja muito mais!

Compartilhe

Facebook Whatsapp Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ei, temos um plano gratuito para você!

Clique no link abaixo e comece agora.